sábado, 6 de junho de 2015

Trajetos

"Para mim, andar de moto é uma filosofia de vida. E muitas vezes ela se resume em uma frase: 'A vida não é esperar a tempestade passar, é aprender a andar na chuva!' Disso eu tenho certeza. Vou tentar ilustrar melhor.
A fantasia mais comum sobre andar de moto é a de cruzar longas estradas vazias, cruzando paisagens como as do deserto americano, em um belo dia sem nuvens. Cabelos ao vento, o sol brilhando sobre o metal e o ronco do motor se espalhando por quilômetros. Depois de um dia inteiro rodando, você para em um bar repleto de pessoas como você e vai tomar uma cerveja ao som de um blues ou rock and roll. Mas quem anda de moto, sabe que isso não existe. Você vai sair de casa, e enfrentar trânsito, buracos e pessoas falando ao celular, doidas para derrubar você. Quando você finalmente chegar na estrada, ela não estará vazia, e você terá que disputar espaço com caminhões, que vão esperar até você estar bem perto para atacar com aquela nuvem negra de fumaça, que impregna até a alma. Se for um dia quente, sua jaqueta irá se transformar em uma sucursal do inferno no momento que você começa a reduzir a velocidade. Mas se o dia estiver frio, o vento vai procurar a mais ínfima brecha da sua roupa, e entrar com força total congelando seus ossos. Ao parar, os cabelos ao vento são substituídos pelo cabelo amassado, e você fica com aquela aparência de quem acabou de acordar aonde quer que vá. Dependendo da distância percorrida, você vai estar tão moído que vai querer dormir de botas sobre a cama. Foda-se o bar…
E é justamente por isso que eu gosto tanto de andar de moto.
Esses pequenos incômodos me fazem estar presente em cada momento da pilotagem. Nenhum outro veículo deixa você tão próximo dos elementos. Você sente na pele as mudanças de temperatura, os cheiros de cada local, se conectando de alguma forma com aquelas cidades passando rapidamente ao seu lado. A chuva que cai sem aviso, a sujeira na pista, o calor, o frio, o vento, as imperfeições, tudo isso me faz sentir como se eu estivesse em uma aventura.
É por isso que se vive mais em alguns minutos em cima de uma moto, do que algumas pessoas vivem numa vida inteira." (Old Dog Cycles)


Trajeto precorrido na viagem desse ano. Serra/ES - Belo Horizonte/MG - Congonhas/MG - Belo Horizonte/MG - Ribeirão Preto/SP - Maringá/PR - Foz do Iguaçu/PR - Puerto Iguazu/Argentina - Curitiba/PR - Blumenau/SC - Florianópolis/SC - Serra do Rio do Rastro/SC - Florianópolis/SC - São Paulo/SP - Santos/SP - Rio de Janeiro/RJ - Serra/ES (+ de 5500km)

Nenhum comentário:

Postar um comentário